Lar é onde o coração está

Olar pessoas, tudo bem?

No inicio do mês fez um ano que eu passei a morar sozinha e, além das coisas que aprendi morando sozinha, hoje eu percebi uma algo a mais sobre o lugar onde vivemos.

Quando eu estava procurando uma casa, eu tinha algumas expectativas para o espaço ideal. Ela seria iluminada (acordar com a luz do dia é a melhor coisa da vida), com uma pintura clara, espaço bem dividido, era o mínimo. Achei uma exatamente como eu queria, mas a localização da mesma não era das melhores e, quando você sai às 06:00 e volta às 00:30, isso é extremamente importante de se pensar. Por fim, achei uma de ótima localização, mas ela não era nada do que eu desejava anteriormente #sentaechora. A casa era escura, fria, TODAS as paredes eram tão roxas que mesmo amando Friends e achar muito lindo o apartamento da Mônica Geller ou gostar de roxo, não consegui me apaixonar por aquela casa. Eu aluguei pensando "tudo bem, eu pinto e tudo se resolve, certo?" ERRADO. Pois além disso, outros fatores me fizeram detestar ainda mais a casa e aí, eu nem queria mais pintar (gastaria horrores e a proprietária disse que seria tudo por minha conta).

Os primeiros dias, eu estava com aquela sensação de COMO EU BOM TER UM CANTINHO SÓ MEU, misturado à: MEU DEUS EU VOU É PASSAR FOME. Medos comuns de marinheira de primeira viagem. Mas na real, eu estava bem feliz. Afinal era a realização de um sonho. Pena que não durou muito, pois meu cantinho de paz, passou a ser frequentemente interrompido pelos meus queridos vizinhos, que todo final de semana, vulgo "únicos dias que eu fico mais em casa" estavam se tornando terríveis, já que eles resolviam ligar a caixa de som bem virada para a minha porta às 8h da madrugada manhã do meu lindo sábado #ondeEuClicoParaDeletarElesDaVizinhança

No final de semana eu só queria poder dormir um pouco mais, um pouco de silêncio para ouvir meus pensamentos, um dia livre para fazer vários nadas, mas eu não tinha essa regalia. E aí foi que eu me vi aos poucos, indo para casa do meu noivo ou para qualquer outro lugar só para ficar fora de casa. Aos poucos eu parei de me importar em decorar a casa, as vezes até arrumar (e eu sou a loca da decoração). Eu estava tendo uma casa, mas não um lar.

Casa é a construção de tijolos onde você vive. Lar é onde você vive, ama e sente que é o melhor lugar da terra. Notei isso quando percebi que tudo que eu queria, era um local onde eu tivesse privacidade para andar do jeito que eu quisesse, sem medo de ser observada. Um local para receber minhas amigas sem que elas fossem assediadas, um local para ter paz em dias que se quer paz. Um local que eu sinta falta durante a semana corrida, que eu conte os dias para chegar o final de semana, para eu poder curtir bem meu espaço. Um lugar onde meu coração fica cheio de amor. Lugar onde a frase "Lar é onde nosso coração está" faz todo o sentido. No momento me mudei e tenho tido essa sensação de novo. E espero que ela não passe e que a cada dia eu ache mais motivos para amar meu lar.

Pensando nessa frase Lar é onde nosso coração está que eu criei a imagem abaixo, com a frase em português e também em "ingrish", que dá um ótimo quadro que você pode colocar no seu cômodo preferido ;). Faça o download clicando no link na legenda de cada uma das imagens abaixo e, se fizer para seu lar, posta com a hastag #EPInspira ;)

Download da imagem

Imagem para download coração vermelho
Download da imagem

Imagem para download preta e branca
Download da imagem

Bom é ser criança...

Olar pessoas, tudo bem?

Ainda sobre a visita ao parque Villa Lobos no último dia 01/07, aproveitei para tirar um pouco a câmera do armário e tirar algumas fotos também dos momentos que passamos lá.

Dentre os diversos tipos de foto que eu gosto de tirar, está dessas criaturinhas fofas da minha igreja. Amo como elas sempre nos ensinam coisas e nos fazem ser pessoas melhores!

Nesse dia mesmo, tivemos um momento que nos deslocamos do Parque Villa Lobos para o Cândido Portinari, o que fez os adultos ficarem insatisfeitos e cheios de piadinhas (eu por exemplo fiquei reclamando rs), para os pequenos foi momento de diversão, pois eles puderam brincar à vontade no parquinho do segundo parque.

Depois, ao olhar as fotos fiquei pensando no versículo que diz:
"E disse: Em verdade vos digo que, se não vos converterdes e não vos fizerdes como crianças, de modo algum entrareis no reino dos céus."  As crianças, tem um coração muito puro e elas não precisam de muito para serem felizes. A gente sempre querendo mais, eles se contentando com um potinho para fazer castelinhos de areia. A gente preocupado com o valor das coisas, elas correndo de um lado para o outro.

Vou guardar essas fotos para me lembrar que sempre há chance de ver o lado bom do que aparentemente é ruim...












Um dia no Parque

Olar pessoas, tudo bem? Fazia tempo que não aparecia aqui. Me faltava tempo disponível e inspiração do que postar também, devo confessar. Porém, com a chegada das férias tenho agora um tempinho a mais e várias idéias fervilhando na mente. Pensei em postar aqui umas fotos que fiz no final de semana, para não fazer overposting no instagram haha.

Quem me conhece um pouquinho, sabe da minha paixão por fotografia e minha ligação com essa arte. No final do ano passado cheguei até a comprar uma câmera semiprofissional, mas ela também ficou um pouco de lado, junto com toda a minha motivação para atualizar o blog, começar um canal ou fazer qualquer coisa...

Um dia desses eu encontrei com uma amiga de Camaçari, que me fez perceber o quão relapsa eu estava e como eu não estava sendo "eu". Nada de fotos bem tiradas no instagram, nada de posts no blog, nada de livros lidos em pouco tempo. Eu disse "estou uma negação com isso, com aquilo" e ela me disse a seguinte frase "você está uma negação de você mesma". Isso me marcou (valeu Cal rs), por que realmente eu estava numa fase tão estranha, que eu estava deixando de lado todas as coisas que eu sempre amei.

As fotos abaixo significam para mim o marco de uma fase que eu quero retornar, a fase de viver intensamente sem deixar os meus sonhos antigos. O blog sempre foi algo que eu amei manter e que eu sempre dava desculpas para não o fazer, mas agora nem posso mais continuar a mentir para mim mesma ou para os outros. Ainda preciso achar um rumo, um propósito para isso aqui, mas enquanto não acho, vou escrevendo como sempre o fiz: aquilo que gosto, aquilo que quero que vocês conheçam também. Aproveito a deixa e peço que se vocês gostam de algo específico, deixem nos comentários e farei o possível para falar sobre :)

Fotos tiradas pelo meu noivo e editadas por mim, com VSCO no celular mesmo, porque no bus a gente dorme (sempre bom) ou faz uma outra coisa que também acrescente, não é verdade?




 







Publicidade