Dia de celebrar


São 02:59 e eu tô chateada comigo mesma porque perdi a hora de ligar para ela e ser a primeira a dizer parabéns e abusar de sua caduquice :P
Terminei o trabalho e aí comecei a fazer o de sempre: procurar uma foto nossa para colocar no perfil. Péssima ideia. É madrugada e já dizia a mãe do Ted Mosby, nada de bom acontece após as 2 da manhã. Dito e feito. Visualizei nossas ultimas fotos antes de eu partir, e foi inevitável conter as lágrimas. Percebi que em todas as fotos estou com os cabelos coloridos e, poxa, já faz 6 meses que eu pintei o cabelo. 11 meses que não estamos perto. Uma eternidade que é o que parece no fim das contas. E olha que só olhei fotos do ano passado. 
No meio delas tem fotos nossa na Saraiva, dos dias que iamos sem um tostão no bolso, mas desejando todos os livros possíveis e admiráveis. No dia que eu coloquei piercing no nariz e ela no trágus (e hoje eu também estou sem o piercing). No dia em que fomos para a praia, nosso lugar preferido para conversar, contar os problemas e sonhar. Do ano novo, em que planejamos mil coisas, não deu nada certo, mas ainda assim conseguimos sorrir e celebrar juntos na casa de May. Das nossas centenas de piadas internas. Da formatura, da de May e finalmente da minha. Dos shows que fomos, dançamos muito, inclusive a dança do pato (que saudade da dança do pato!). De ir à sorveteria em dia de chuva e pedir um belo tropical cheio de confete. A lista lembranças é tão grande :'(
Ao mesmo tempo que vejo essas fotos, em minha mente passa um filme, foi justo em seu aniversário que começamos a conversar, então além de celebrar sua vida, celebro também 8 anos de uma amizade que não tenho medo de usar a frase "para sempre". Olhando para trás eu vejo tantas fases que passamos. As mudanças de cabelo (acho que foram as maiores), de estilo, de pensamentos e idealizações. Crescemos tanto nesse meio tempo, mudamos em muitos aspectos, mas nossa amizade é tipo vinho, quanto mais velho melhor. Hoje é mais difícil ficar até as 02:02  batendo papo no celular, ou amanhecer o dia tirando fotos, assistindo ou conversando pessoalmente como fazíamos sempre... Mas graças a Deus, isso não consegue mudar o amor que temos.
Outro dia assistindo "Já sinto saudades" eu chorei litros. Em muitas cenas eu lembrei da nossa amizade. Do quanto em cada fase, boa ou ruim, conquistas  ou derrotas, ela sempre esteve ao meu lado. Porque quando eu tenho algo que não consigo falar em voz alta, posso recorrer a ela para desabafar. Porque eu sei que ela largaria tudo para me socorrer se assim fosse necessário. Porque eu faria o mesmo por ela, sem pestanejar. Porque ela conhece meus piores defeitos e ainda assim continuou a ser minha melhor amiga. (BEST :P) Porque amizade depois de 5 anos é para a vida toda. Porque ela é minha madrinha e vai ser tia dos meus filhos. Porque eu sonho com um futuro de nossas famílias juntas num almoço num domingo a tarde: Ana e Isabel brincando e sendo tão amigas quanto nós somos. 
Enfim, tudo isso é só para lembrá-la que apesar da distância, da diminuição na frequência das ligações, dela não atender quando eu ligo, dela ligar e eu não ver, tem um lugar em meu coração reservado para ela, que ninguém jamais poderá ocupar.

Te amo, fêa, vaca, amiga irmã mais abelhuda de todas! Feliz seu dia! Feliz você, Feliz 8 anos da mais bela amizade que Deus poderia me dar.


Queria voltar no tempo

Foto by Joillyanne

Queria que alguém me dissesse que alisar o cabelo não me tornava mais bonita ou aceitável. Que eu não precisava daquilo. Queria que me dissessem que eu iria me arrepender, pois pior que ter um cabelo que "dá trabalho" ao pentear, era ser uma "dependente química" tão cedo. Químicas essas, muito agressivas, que creio que podemos ter como ferramenta de tortura do tempo atual, disfarçadas de produto de beleza.

Queria voltar no tempo para saber cuidar dos meus longos cabelos, assim não teria que cortar tão curto  para retirar as partes tão mal tratadas pelos inúmeros processos que fiz durante  12 anos de minha vida. Queria que alguém do futuro me dissesse que o volume que eu tanto temia, hoje é o que eu mais acho bonito e que eu detesto quando lavo o cabelo e ele fica "murchinho".

Queria também que existisse essas bonecas pretas e cacheadas que existem hoje. Talvez assim eu amaria desde cedo minha cor e meu cabelo e até tivesse gostado mais de bonecas na infância (sim, porque não me lembro de gostar muito delas. Afinal, como poderia chamar de filha, tal como as pequenas fazem, um objeto tão diferente de mim?)

Queria que me ensinassem os inúmeros penteados que hoje eu consigo fazer. Queria ter mais exemplos perto de mim, assim como espero ser para as pequenas de hoje. Sofro em ver garotinhas que tão novas já negam seus cabelos em detrimento do que está estampado nas revistas, novelas e afins.

Queria que tivesse muitas pretas emponderadas, amando seus blacks, afropuffs, tranças, turbantes e lenços tal como é hoje. Talvez assim nunca teria passado pela minha cabeça ser um grama diferente do que sou.

Já que ontem não pude, minha esperança é que no mundo da minha futura cabeludinha ou cabeludinho, haverá exemplos o bastante para eles seguirem, sem se definirem como melhores, mas que também nunca se achem inferiores por sua cor, cabelo ou qualquer característica distinta.

Sonhar no plural


Ainda me lembro da época em que eu separava: esse serve para ser amigo, esse poderia ser namorado. Ignorância a minha achar que não podia ter as duas coisas numa só pessoa. 

Então fui aprendendo que um ombro para chorar, conselhos, alguém em quem confiar eram características mais que necessárias durante a vida. Percebi que se ficasse com alguém que não estivesse disposto a me suportar nos piores dias de TPM e aturar minhas criancices sem deixar de me gostar, não iria ser fácil.

Ainda bem que percebi a tempo que acrescentar uma nova forma de amar, não iria estragar a amizade, mas aperfeiçoá-la ainda mais.

Li certa vez: quem sonha sozinho, se decepciona, quem sonha junto, realiza, mesmo assim, por muito tempo eu sonhei um amor, um futuro, mas "sonhei" sozinha. Ou por mim e por outra pessoa que não buscava sonhar comigo. Ai veio a decepção. E quando o amor chegou eu custei a acreditar. Não me deixei levar logo de cara. Fechava os olhos mas não descansava. Mas um dia dei um basta em todo medo e desilusão. 

E ele me ensinou a sonhar no plural. Nós vamos, nós queremos, nós conseguiremos, nós faremos. E no início, devo confessar, tive certa dificuldade de assim falar. Mas aos poucos isso se tornou natural, e então foi bem mais fácil sonhar mais alto. Deus, ele e eu. Um triângulo amoroso que recomendo para todos que querem sonhar para realizar.

Alguns sonhos para o agora, outros só para depois. Deus deu muitos sonhos para nós dois. Sonhos de ir, fazer, estar. Sonhos que eu acredito que vamos realizar. Pois "Um cordão de três dobras não se rompe com facilidade." (Eclesiastes 4:12)

Escuta aí: ANAVITÓRIA

Olar pessoas lindas!
Outro dia estava ouvindo o primeiro CD da ANAVITÓRIA, esse duo maravilhoso descoberto pelo Tiago Iorc e dividido com o Brasil, eu não poderia deixar de trazê-las para indicar para vocês.

Esse duo lindo formado por Ana Caetano e Vitória Falcão veio direto da cidade de Araguaína, no Tocantins para mostrar o quanto talento existe em cada canto desse país. Eu já era apaixonada pelos covers e músicas autorais que elas postavam no canal delas, fiquei maravilhada com os arranjos, a produção musical perfeita feita pelo Tiago Iorc. Aliás vou até fazer um post sobre o último CD dele, que também vive em minha playlist.
Aliás, olha o relato que o Tiago fez em sua conta do Instagram sobre o lançamento:




Chovia muito em Santa Catarina.
A viagem de carro de Curitiba para Joinville, que em princípio levaria duas horas e pouco, acabou levando mais de seis por conta do deslizamento de terra que bloqueou a pista.
Chegaríamos atrasados pro show daquele dia.
Com o trânsito empacado e o tempo farto dentro do carro, Felipe, meu empresário e companheiro de jornada desses últimos 6 anos, aproveitou pra me mostrar o vídeo que havia o deixado inquieto antes de pegarmos a estrada.
Na imagem, duas meninas acanhadas do interior do Tocantins arranhavam um violão e mesclavam as melodias de suas vozes numa bonita versão de ‘Um Dia Após o Outro’, música do meu terceiro disco. E a fizeram lindamente.
Sem saber, Ana e Vitória se tornariam o assunto daquele longo trajeto chuvoso.
Felipe, que sempre teve tino pra ver potencial artístico, se empolgava dizendo: “Essas meninas tem algo especial! Elas se completam muito!”
Eu, concordando com a cabeça, já emendava: “Sempre tive vontade de produzir algo que não fosse meu! E olha que lindo o cabelo dessa!”
Felipe retrucava: “E a Ana tem músicas próprias! É uma baita compositora!”
E eu: “Elas bem poderiam formar um duo, ao invés de uma dupla! E se o nome fosse Anavitória?”
E ali ficamos, confabulando possibilidades e desenhando horizontes, imersos na chuva e no trânsito e no deslizamento de terra, que nem vimos passar.
Quase dois anos se foram desde aquele dia.
Hoje, Anavitória lança seu primeiro disco.
A gravação se fez possível com a ajuda de mais de 600 pessoas que, num esforço de financiamento coletivo, contribuíram e juntas somaram mais de 60mil reais.
O resultado ficou tão bonito que rendeu até contrato com a Universal Music, parceira nesse lançamento.
Anavitória é um duo de duas.
Uma é Ana.
A outra é Vitória.
Juntas, só ouvindo pra entender.
Ou, talvez, nem assim.

Lindo, né gente? Agora mais lindo que isso, só o cd completo. Então, escuta aí!




Acordei com saudade...

De dormir tarde conversando sobre todos os assuntos possíveis todos ao mesmo tempo.
De ver o dia amanhecer e estar conversando sem perceber
De ser parada na rua e me perguntarem se eu sou de uma tal família rockbell
De ir para praça ver a galera andando de patins
De passear no shopping, mesmo nps dias em que estava sem 1 rral no bolso
De cantar hillsong e ver os dvds deles
De comprar a mesma roupa da promoção com a amiga e irmos quase iguais no culto, (cada uma se diferenciava pelo estilo)
De dividir um tropical cheio de confetis e "cuzcuz"
De comer pastel do rasta, mas pedir sem salada para vir com mais batata-palha
De comprar uma paleta mexicana e alternar entre lambidas e se matar de rir pq a amiga esta do lado reclamando que jogamos dinheiro fora
De ir para pizzaria após o culto e voltar para casa só na segunda
De juntar todo mundo em casa e fazer e aquela "zuada" capaz de fazer o amigo da rua de baixo vir dizer que estão ouvindo nossos berros da esquina kkkkk
De rir muito depois do ocorrido acima.
De ir ajudar crianças tão amorosas e voltar cheia de cartinhas fofas e a mão doendo de ter feito tanto desenho
De aprender a servir aos outros de maneira exemplar e linda
De fazer do pouco uma festa estupidamente linda e memorável
De ter consolo e cascudo também, quando as coisas não vão bem
De encontrar as amigas no iguatemi após o trabalho para uma boa dose de sorvete/batata/torta
De ir à praia, mesmo não gostando tanto.
De cantar várias musicas diferentes de uma mesma cantora ao mesmo tempo na rua
De comer pipoca com brigadeiro e cantar feito doida
De dançar como se não tivesse ninguém olhando.
De dançar a dança do pato sem que imitem o meu bico
De que entendam minhas piadas internas
Mas nada supera a saudade das pessoas que estavam comigo e todos esses momentos...

Saldo dos últimos meses

Eu nunca fui do tipo que dizia que quando tivesse a maioridade faria e aconteceria. Para mim, estar sob a barra da saia de mamãe, como diziam, era muito mais confortável. Mas aí o tempo foi passando e de repente a cidade já não comportava mais meus sonhos, o emprego já não me trazia o retorno esperado, e a vontade latente de voltar para a cidade grande aumentava ainda mais dentro de mim.
Quando a gente decide ir, tem que lidar com as mais variadas situações. No meu caso ainda mais, pois achava que era por motivo fútil. Mas quem me conhecia, sabia que desde sempre era algo que eu sonhava, pesquisava e planejava minunciosamente. Aquele que achavam (acham) que era meu motivo, na verdade era o empurrãozinho em forma de incentivo e cuidado, que me mostrava todas às vezes que eu pensava em vacilar, que estaria ao meu lado e que tudo daria certo. Lembro de ter ficado muito chateada no início. "Estão deturpando meu sonho" -pensei muitas vezes. Mas depois deixei, afinal, como saberiam se eu não saía por ai gritando meus objetivos e sonhos? Eu já havia aprendido a fórmula da realização: contar meus sonhos para as pessoas certas.
Então minha ida foi rápida e silenciosa. Não avisei no facebook, não criei evento muito menos uma live. Era algo só meu e dos que sonhavam comigo. Pessoas que eu conto nos dedos, mas que levo para sempre em meu coração. No dia, minha alma era um mix de realização e tristeza. A primeira obviamente, pois era algo há muito esperado, a segunda, pois não podia levar na bagagem aqueles que tanto me fazem bem. Então me despedi, olhos vermelhos, bagagem pesada torcendo para não pagar excesso de peso. "Ainda bem que eles não pesam a gente" - pensei . "porque meu coração está cheio!"
O sentimento que acompanha de quem vai para um lugar que ama é o de não querer voltar para onde estava, mas desejar levar junto todos aqueles a quem ama. Meio egoísta, eu sei. E por isso preciso aprender a lidar com a saudade.
Uma frase que estava no aeroporto de Salvador no dia em que parti foi: 2016 é um ano de superação. E eu tenho visto que está sendo mesmo. Muitíssimo para mim, mas sei que para os meus também.
E lá se foram 8 meses, que são o equivalente a 35 semanas ou se preferir 245 dias. Alguns sentimentos mudaram. Várias surpresas aconteceram no caminho. Algumas coisas não saíram como o planejado, mas eu continuo aqui, sempre tendo esperança de que o próximo ato vai ter desfecho melhor.

Escuta aí: Lorena Chaves - Em cada canto

Olar queridos! Tudo bem?
Tem um tempo que eu queria compartilhar essa maravilhosidade musicalística para vocês, mas sabe como é né. O tempo passa, a idade faz a gente se esquecer rápido das coisas hahahha

Via Facebook
A minha história com as músicas da mineira Lorena Chaves foi semelhante aquelas pessoas que a gente torce o bico por algum motivo que você não sabe bem o qual (ou sabe e é bem idiota) e acaba por não gostar muito, mas depois vira BFF, sabe?  Você diz que não curte, mas ai escuta aqui e acolá, coloca a playlist no youtube enquanto trabalha. Quando percebe, já está fazendo cover e postando no youtube e recomendando para os amigos no blog. #confessei 
Além de cantora e compositora talentosíssima, a Lore quanta intimidade é muito divertida, gente. Amo os posts dela, sempre tem alguma zueira! 
Embora eu ame as músicas anteriores da Loreninha, o álbum Em cada canto ganhou meu coração, meu pulmão, meu pâncreas. Não, pera. rs... Enfim é, como diria a própria. "bom dimais da conta, sô". Eu não tenho provas concretas, mas tenho para mim que isso se deu a nova fase que ela está... O amor faz bem aos poetas e músicos rs.


Aliás, falando em amor, a identidade visual foi feita pelo noivo (em muito breve marido) da Lorena, o Thiago Thal, que é designer e artista plástico. A base foi uma pintura que ele a presenteou e virou uma assinatura tão perfeita, que ele nem colocou nome da frente da capa do CD. Essa pintura é a coisa mais bela desse mundo. E sabe que quando se trata de visual eu sou #aloka né? O site está perfeito, o kit mais ainda e já estou aceitando de presente :3  (Escrevendo eu fiquei pensando em criar um post só sobre a identidade visual dela hahaha)


Bom, a conclusão sobre as músicas eu vou deixar para vocês, esperando que sejam mais rápido que eu em se apaixonar por tão belas canções e voz. Então, escuta aí:

Uma lista sobre o tempo



Imagem via kaboompics

Olaaar, pessoas!
Faz um tempo que vi essa espécie de TAG no blog da Camila Damásio e salvei aqui nos rascunhos, e só hoje resolvi postar. Achei muito legal relembrar alguns fatos de minha vida e queria dividir com vocês além de deixar várias dicas de presentes para mim, hahahahaha.
É interessante ver como mudamos algumas ideias com o passar dos anos ou mantemos firme algumas outras. Viva a capacidade de reinventar!

Dez anos atrás: 
1. Eu tinha 14 anos
2. Eu fiquei um ano sem estudar
3. Tinha acabado de me mudar para Bahia
4. Não tinha amigos na Bahia porque achava que ia voltar para SP

Cinco anos atrás: 
1. Já tinha concluído o ensino médio, junto com o técnico em Informática
2. Minha série favorita era Pretty Litlle Liars
3. Cursava Desenvolvimento Web no SENAI
4. Ia para o cinema com Babi e depois voltava de roteiro universitário sem ter carteirinha #vidaLoka

Dois anos atrás: 
1. Eu estava no 5º semestre do curso Design Gráfico
2. Eu morava em Camaçari
3. Eu trabalhava em uma empresa Agropecuária em Salvador
4. Eu amava tirar fotos e postar no instagram

Um ano atrás: 
1. Eu me planejava para voltar para São Paulo
2. Ainda trabalhava na empresa Agropecuária em Salvador
3. Comecei a namorar
4. Eu comprei um material de mergulho e mergulhei 2 vezes (depois o vendi)

Ontem: 
1. Acordei 8h 
2. Assisti O Caçador e a Rainha do Gelo com Joilly
3. Criei uma máquina virtual Debian e instalei programas na aula de Sistemas Operacionais
4. Saí bem tarde da faculdade e dormi 01:20

Hoje: 
1. Acordei 11h
2. Escrevi esse post
3. Escrevi o post ouvindo ANAVITÓRIA
4. Estudei um pouco

Nesse fim de semana, você vai: 
1. Ter aula de inglês no sábado #chora
3. Acordar muito cedo porque tenho aula de inglês
4. Ir para igreja
5. Sair com o namorado e amigos

Cinco hábitos ruins que você tem: 
1. Procrastinar minhas próprias tarefas
2. Dormir muito se estiver tudo muito escuro
3. Dormir tarde
4. Não comer na hora certa.

Cinco coisas que você não consegue viver sem: 
1. Deus
2. Pessoas que eu amo
3. Comida
4. Celular
5. Comida

Cinco coisas que você compraria com R$1000,00:
1. Relógio CASIO dourado
2. Adidas branco
3. Mesa digitalizadora Wacom
4. Gopro
5. Muitas "brusinhas"

Cinco programas de TV que você curte:
1. Não
2. Assisto
3. TV
4. Só
5. Netflix (de vez em quando)

Três coisas que te dão medo: 
1. Ser assaltada
2. Estupro
3. Perder entes queridos

Três coisas que você está vestindo no momento: 
1. Meias cinzas
2. Moleton verde
3. Legging preta

Quatro dos seus cantores/bandas favoritos: 
1. Hillsong United
2. Lorena Chaves
3. Tiago Iorc
4. Leonardo Gonçalves

Três coisas que você quer muito nesse exato momento: 
1. Moto G4 branco
2. Canon T5i com lente 50mm
3. Silhouette Cameo

Três lugares que você quer conhecer: 
1. Paris
2. Londres
3. Fernando de Noronha

Vamos falar de coisa séria?

Ilustra por Carol Rossetti

Estava voltando da faculdade esses dias e vi uma moça com um cabelo muito longo e crespo. Sentei-me ao lado dela e me segurei, porque tive muita vontade de virar para ela e lhe dizer o quanto o cabelo dela era lindo. Não sei por que a gente tem dessas. Tão fácil criticar, mas difícil soltar um elogio. Não que ela precisasse do meu elogio para se sentir mais bela, afinal, quando vejo alguém com o cabelo natural, imagino mesmo que a pessoa tem total certeza de sua beleza real, mas toda mulher tem dias em que se sente mal, estranha, feia e etc e tal. Imagino que o elogio serviria para ela lembrar que apesar dos olhares e insultos que ela já recebeu e/ou recebe por conta de seu cabelo, são de gente que ainda tem os olhos e a 'mente alisada' pela enxurrada de padrões disseminados pela sociedade.

Nesse dia parei para pensar em mim também. Na minha infância a questionar a  Deus por que eu tinha nascido preta "café pelé/pilão" (como me chamavam na escola), de cabelo "de bombril". Questionava por que eu não tinha nascido mais clarinha como minha irmã mais velha. Ou por que meu cabelo precisava ser tão cheio, do tipo "que dava para dar e vender". Chorava pois meu nariz não era fino e minha boca menor. Uma vez cheguei a colocar prendedor de roupas por alguns minutos para ver se diminuía, porém o resultado final era um aumento, tanto de dor física quanto da tristeza que eu carregava por não me aceitar.

Embora ainda exista muito preconceito, hoje os insultos voltados à mim são mais distantes. É tudo mais velado. Quando vejo falarem de bulliyng atualmente, me pergunto se o que eu sofri tem nome pior. Pois todos os apelidos nunca mexiam com meu intelecto, afinal era aluna exemplar, nunca era com a minha classe social, embora fosse pobre. Sempre mexiam com algo que eu nunca poderia mudar. Mexiam com minha cor, com meu cabelo, com minhas características herdadas e que antes de todos eu deveria amar.

Essas coisas me fizeram por vezes desejar ter nascido branca. Mas não havia como remediar isso. "Sorte mesmo é do Michael Jackson, teve uma doença e pode escolher ficar branco" lembro de ter dito uma vez. Ledo engano, tanto das informações equivocadas, quanto da mudança que ocorreria em minha vida se eu pudesse ter o mesmo destino dele. Afinal tenho certeza que sua mudança exterior nunca apagou todo seu sofrimento ou o fez se amar como de fato ele era. E é isso que mais tenho pena. 

Não sei ao certo quando, mas houve um momento em que me amei. Amei minha cor que me deixa ficar exposta ao sol sem ficar vermelha e que me mostra mais jovem do que realmente sou. Amo meu nariz mesmo ele sendo de "coxinha" e minha boca ainda mais, afinal tenho botox natural para usar os batons de cores fortes que por tanto tempo me disseram que eu não deveria usar pois não combinava com a minha cor. E por fim, amo meu cabelo. O mesmo que comecei a alisar ainda com 6 anos de idade para diminuir o volume. Que eu alisava para que os garotos me achassem bonita. O mesmo que me fazia sair de casa com cabelo pingando e molhava sempre que tivesse chance. Esse que hoje me fazem amar ver outras meninas de cabelos soltos pela rua.

-------------------------------------------------------------------------------------------
Relutei postar isso aqui, mas depois me lembrei que esse é o cantinho em que falo o que penso, certo? E essas coisas, que em sua maioria nunca disse a ninguém, estavam latejando na minha cabeça. Espero que de alguma forma toque você que de alguma forma já se sentiu tão mal quanto eu...

beijinhos! 

Lindezas aleatórias #2

Essa semana foi mais difícil encontrar lindezas. Eu larguei um pouco o Pinterest de lado, a rotina da faculdade voltou e com ela as atividades solicitadas pelos professores :( , mas estou me organizando e aos poucos tudo entra nos eixos.

Resolvi então buscar nas pastas lindezas pinadas anteriormente e que eu amo! Diz para mim qual(s) a(s) sua(s) lindeza(s) favotita(s), beleza? 

1. Essa sala: Eu devo confessar que estou gostando desse estilo que tem tomado os blogs de decoração, que tem a pegada mais industrial e clean. O que mais tem é sala nesse estilo na minha pastinha.

2. Esse look: Tinha que ter um look com tênis. Esse é uma prova que tênis branco combina com tudo, mesmo com um traje mais social.

3. Essa parede com triângulos: Dá série: DIY que eu vou fazer um dia, tem essa parede que é possivel recriar com adesivo contact. É lindo, é fácil, é bacanudo.

4. Esse look de noiva no estilo boho chic: O editorial todo da marca desse look está perfeito, mas esse look ganhou meu coração. (spoiler: E já está na pasta para o ensaio pré-wedding)

5. Esses gêmeos listras e poás: Eu sempre salvo imagens com essa temática do nome do blog... Mas tenho certeza que nunca haverá fofice maior que esses bebêzus gêmeos. Esse ensaio newborn está tão lindo!

6. Essa make e esse penteado: Eu não sou a "mina das maquiagi", e não entendo muita coisa, mas essa aí com certeza eu gostaria de ter em minha face Amiga Pitty, cadê você aqui?, e esse penteado também (ok, desse aí eu entendo rs)

A TPM me faz mais humana

Momento não me toque! (Ilustração autoral)

Outro dia estava conversando com minha filha postiça e ela me perguntou como eu estava, respondi apenas: de TPM responde? E ela disse que sim, afinal, estar de TPM diz muito sobre muitas coisas rs.

Eu fui uma criança por vezes chamada de manteiga derretida, mas à medida em que fui crescendo, creio que quis afastar isso de mim e criei o hábito de não deixar que as pessoas me vissem chorando. Em resumo, continuo a mesma chorona de sempre, mas dessa vez em oculto rs. Mas quando estou de TPM, tudo muda. A Priscila séria e durona some e dá lugar à uma Pri que, em primeiro lugar vai achar tremendamente ofensivo ser chamada pelo nome todo e que fica extremamente sensível em todos os aspectos.

Minhas amigas dizem que sou bruta, mas de TPM parece que fico um tanto frouxa. Claro, tem suas fases, tem uns dias desse período que sinto vontade de matar um com o olhar, eu disse matar? Gente, não é tão sério assim. Mentira, é sim. Enfim, o caso é que eu não fico normal. Abraço mais, choro mais, fico mais dengosa, mais carente... Por falar nisso, chorei assistindo Velozes e Furiosos 7... No cinema... Na frente do namorado, que na época era apenas amigo, mas que fez questão de me zoar e joga isso na minha cara até hoje u.u

Mas fora essas coisas nada charmosas, quando estou nesse período eu tenho mania de observar mais ao redor. Ver casais de mãos dadas, famílias na rua, velhinhos juntos, bebês sorrindo, tudo isso me parece lindo e faz com que eu ria sozinha feito boba. Por isso cheguei à conclusão de que a TPM me faz mais humana. Talvez ser mais humana também explique porque fico mais chata, mais estressada, menos receptiva nessa época né?! rs

Lindezas aleatórias #1

Olá queridos! Nos últimos dias eu me tornei uma pinadora louca! Calma, eu explico, isso não é um tipo de esporte, é simplesmente salvar imagens em pastas selecionadas no lindo Pinterest ♥ . Eu tenho conta lá faz muito tempo, mas esse ultimo mês tirei um tempo para organizar as pastas e "pinar" as imagens passou a ser algo muito comum nos meus dias. Preciso dizer que para uma acumuladora de imagens assumida, eu amei poder salvar sem ocupar espaço na memória do meu computador, além de salvar links sem perder depois porque a imagem ajuda a achar HAHA

Aliás, se você também está no Pinterest, me siga lá, garanto dezenas de imagens legais lá todos os dias :) ao menos eu acho e minha mãe também deve achar :P 

Decidi trazer algumas lindezas lá toda semana e, de quebra, deixarei o link delas para vocês salvarem em suas pastas também :*

Agora, vamos deixar de papo e ver as lindezas da primeira semana:



1. Essa casa com pé direito duplo: Melhor de tudo são as imagens internas da casa, gente. A luz natural que as janelas e portas proporcionam são demais!

2. Essa cozinha : Tijolinhos aparentes estão em alta em decoração ultimamente, mas en geral sem cor, esses pintados com esse rosa em tm pastel ficou um charme, não? Achei um ótimo escape do atual revestimento metrô white. (que eu amo também)

3. Essa tatoo tipo bracelete: Tatoos minimalistas ganham meu coração (enquanto não ganham minha pele porque não tenho coragem rsrs)

4. Esse tênis preto e dourado Adidas: Quero muito! É lindo! É top :P!

5. Esse colar: Achei muito legal... Nesse link tem outros exemplos também. Acho uma saída para você colocar um nome mas não expor qual. Pena que o preço é de um rim hahaha #xatiei

 6. Esses potinhos de vidros decorados com brinquedos: É link para o DIY fácil de fazer com aqueles brinquedinhos que a gente encontra em loja de 1,99, sabe? Está na lista de coisas que eu quero fazer para decoração

7. Esse Top de listas e essa Hotpant de bolinhas ♥: Listras e poás, preto/branco e amarelo... Nem preciso explicar porque eu gostei muito, né?!

#dicaLP 18 Looks com tênis para deixar o salto de lado


Eu sou suspeita para falar, pois amo looks com tênis. Hoje nem tanto, mas houve um tempo em que só comprava All star e o usava com tudo: saia, vestido, longo, calça...
Antigamente isso não era bem visto pela sociedade ¬¬' , mas ainda bem que os tempos mudam e isso virou tendência #vulgoModinha divulgada por diversos blogs de moda por aí afora, e como é algo que eu realmente curto, tinha de trazer aqui no Entre Listras e Poás!
E pensando nisso resolvi trazer alguns looks que mostram que se vestir linda e confortável pode sim estar atrelados.

Com vestido midi e tênis branco

 1 | 2 | 3

Com vestido curto

 4 | 5 | 6

Com jeans

7 | 8 | 9

Com legging


Com saia


1314 15

#dazamigas



Lançamento Antix Atletix

Se tem uma marca de roupas que eu admiro é a Antix. Ela faz cada roupa mais linda que a outra, com estampas exclusivas baseadas em temas diversos. 
Acompanhei diversas coleções, mas essa ganhou meu coração de bandeja <3
A coleção Atletix (Primavera/Verão 2017) foi lançada hoje e está simplesmente perfeita! Com saias midi, listras, camiseta ranglan, estampas relacionadas à atletismo... Enfim, perfeita!

Separei algumas das peças que eu gostei mais. #aiseeupudesseemeudinehirodesse
Outra coisa que eu amei foram os tênis candy color, gente. O nude ficou indisponível no mesmo dia que lançaram a coleção :O. E os colares? Vejam que delicadeza!

Vocês podem ver a coleção toda no lookbook do site oficial da marca e ver os valores na loja Antix também.

E aí, qual seu modelo preferido?









Todas as imagens foram retiradas do site oficial da Antix.

Versão não autorizada: Diário de bordo #1

Caminhar e viver é viagem, sozinho é loucura!
Com más companhias é suicídio, mas com um amor,
Aah, isto é aventura!

Sorrir e sonhar é agradável,
Com companhias é desejável!
Mas sonhar para realizar, Aah, isto é formidável!

Seguir viagem rumo ao desconhecido, que é muito planejado e também muito desregrado,
Não cabe nos nossos planos as surpresas que nos esperam, Mas de nada importa, desde que tenhamos Deus e um ao outro, seguiremos, até onde Deus permitir, e nesta viagem, cada dia é uma parada, e também uma partida, partida para um futuro que se torna menos distante, partida para um futuro que se torna mais planejado, e se revela mais rebelde á obedecer nossos planos, um futuro que pode não ser
nada do que planejamos, mas com certeza será belo, pois estaremos os três, a viver dias belos, como os de agora são.

Os belos dias de ajuda mútua, de abraços apertados e sonhos descontrolados, os belos dias de viver juntos aquilo que á muito esperamos, de pensar, sentir e amar. Sim, AMAR, dias de histórias e estórias, dias de risos e lagrimas compartilhadas, dias de novidade, dias em que o melhor que temos é o que por muito tempo esperamos: Os olhos se conversam enquanto a voz confessa “ TE AMO TANTO

Lucas Vargas
Invasor e autor


O que "aumenta" o amor...


O que aumenta o amor, é aquele dia em que você tem que realizar uma tarefa diária,  e o outro sem que você peça, lhe cede ajuda.
É quando o abraço vem depois daquele choro em meio à soluços, em um dia difícil.
Quando o beijo na face, nos cabelos, na testa funciona como lembrete: estou aqui.
Quando o carinho grita que você não está sozinho, se as palavras do outro faltam.
É ajudar o outro, ainda que desajeitadamente, quando ele decide consertar ou montar alguma coisa.

O que aumenta o amor é ver o outro sendo bom com outros, não apenas com você.
É marcar o outro em um post fofinho (ou bobo) nas redes sociais.
É um dia de preguiça vendo séries, cochilando hora ou outra num domingo frio.
É mudar a rota de casa, ir pelo caminho mais longo só para não deixar o outro ir sozinho.
É ver que o outro aguenta seus piores dias de TPM, mesmo você sendo rude sempre  às vezes.

É levar chocolate sem avisar e entregar esse chocolate de uma forma inusitada.
É ser elogiada mesmo quando está completamente desarrumada.
É ser cuidada, recebendo toda atenção, como se sua dor de cabeça fosse uma doença letal.
É ser surpreendida todos os dias, de diversas formas.
É rir junto das piadas toscas um do outro.
É saber identificar se o outro está bem, isso em sua frente ou à quilômetros de distância.

É fazer de tarefas simples, acontecimentos ímpares e marcantes para os dois.
É fazer as mesmas coisas às vezes, sem entrar na rotina.
É buscar fazer parte da família, ser amigo dos amigos do outro porque isso o deixa feliz.
O que aumenta o amor é viver todos os dias e cuidar para que cada acontecimento, mesmo que banal, tenha sua importância para os dois.



Texto: Priscila Regis
Ilustrações: Phillipa Rice

Para quando minha Maddu crescer


A primeira vez que te vi, me segurei. Queria ir até a sua mamãe e acariciar-lhe a barriga, mas eu não podia, sua existência ainda era segredo e ela já me olhava com a cara de: "não faça isso!" toda vez que eu me aproximava e mensurava estender as mãos. Mas depois todos ficaram sabendo e se tornou ritual te fazer um carinho toda vez que a encontrava. Desde o ventre eu já te amava tanto mesmo que nem sempre eu soubesse demonstrar (sua mamãe reclamava que eu fazia carinho muito forte) mas isso tudo sempre foi com ótimas intenções afinal, eu queria que você sentisse muito carinho :P

Passou um tempinho e você nasceu, porém eu já estava longe e meu sono (que é muito grande e que sua mãe com certeza saberá lhe contar melhor depois) não deixou acompanhar toda ódisseia que foi seu parto. De longe fiquei eu: aflita, preocupada, com medo, ansiosa, super feliz, preocupada de novo, mais feliz ainda. Coisa de tia, que embora não fosse de primeira viagem, nunca tinha tido tanta emoção assim com a chegada de uma sobrinha. Então sua vovó enviou fotos suas e te vi tão novinha, cara de joelho (um joelho muito do bonito, deixe te dizer) porém era apenas uma foto e eu queria mais e então seu vovô, que ama tecnologias e que com certeza vai te puxar para ver todas as coisas legais que ele tem em breve, mandou alguns vídeos seus, e me senti tão feliz ao te ver tão perfeita ainda que tão pequena e do jeito que eu tenho medo de segurar.

O tempo já passou voando e você já está grande e linda! Sua mamãe mandou uma foto sua com o seu primeiro all star que eu lhe dei. E eu fiquei toda boba, nem preciso dizer, imaginando que você ainda terá muito all star pela frente. Sim, sua tia também tem planos para a sua vida: perpetuar o uso de all star com suas roupas super descoladas, que inicialmente são escolhidas pela sua mãe, mas que com certeza serão muito bem escolhidas por você depois, afinal ter bom gosto está em seu sangue.

Outro dia, eu estava na aula, e comecei a perceber que nunca imaginei que fosse possível sentir tanta saudade assim de alguém que eu nunca vi pessoalmente. Alguém cuja voz (nesse caso, o choro) eu nunca ouvi, que nunca senti o cheiro de neném (um dos melhores do mundo), que nunca recebi uma golfada (ok, essa parte eu até fico feliz rs). Mas então pensei que talvez seja parte do amor que tenho por sua família, transferido para você. Ou a amizade/irmandade que tenho com sua  mãe que passou por indução, esse amor que lhe tenho. Não sei, tudo que sei é que tenho contando os meses, em breve as semanas, depois com certeza os dias para lhe encontrar e te pegar no colo pela primeira vez. 

Divagações de busu #1


É sexta-feira, 23h da noite e estou voltando de ônibus para casa sozinha. Temos aí muitas novidades:

1. Estou sozinha numa sexta
2. Estou sozinha a noite. E é bem tarde, são VINTE E TRÊS HORAS. ok
3. Estou em transporte público à essa hora da noite. 
4. Eu já disse que estou sozinha?

Seria um dia uma noite comum, se eu não tivesse me adaptando à essa nova rotina de ter transporte coletivo disponível para ir para casa o tempo todo, mesmo que estes estejam a depender do horário, abarrotados de gente. 

Foi a primeira noite, em quase um mês que estou na terra da garoa, que me vi sozinha no metrô/ônibus. E estar sozinha em transporte público com um celular que não te permite ficar alienada às redes sociais e ainda por cima, com a TPM dando às caras, é um convite à nostalgia.

Minha cabeça doí muito, e eu poderia ter dormido, afinal o caminho ainda seria longo, mas resolvi apreciar a vista. É incrível viver em uma cidade que parece não parar. Tem muita gente nos pontos de ônibus, de todos os tipos, cores e estilos. E por falar em estilo, cara como eu gosto da forma que muitos aqui se vestem! Quando vejo alguém com o estilo tão alternativo quanto o meu, me sinto em casa hahahaha. Cabelo azul? Mano aqui tem rosa, roxo, raspado do lado, dread, box braids... (sim, tô pegando as gírias de novo, vey, ops)

Agora não tem o trânsito caótico que me fez chegar atrasada na faculdade, mesmo saindo com quase 4h de antecedência, então estou mais calma. Sim, por que pela primeira vez desde que cheguei eu fiquei irritada com o trânsito louco daqui. Mas, em defesa dessa cidade que eu amo, digo que consegui chegar no horário porque havia uma rota alternativa de trem. Mas enfim, estou nuns dias de TPM, sinto 70 vezes mais. É, como eu disse para uma amiga, e em breve escreverei por aqui, a TPM me faz mais humana, leia-se mais chata, resmungona e estressada também.

Cheguei no ponto de parada e são quase 00:00, primo está me esperando, porque o namorado insiste que o bairro é muito perigoso para uma mocinha como eu ir sozinha até em casa. Estou extremamente cansada, contudo feliz. Enfim estou vivendo as coisas que tanto almejei e nem as dificuldades conseguem me impedir (ao menos por muito tempo) de ver o quanto tudo isso é bom.

Dia de agradecer



No último sábado, fui à uma apresentação do cantor e compositor Marcos Almeida, na IBAB (Igreja Batista de Água Branca). Esse foi um dos eventos que superaram em 10 vezes as minhas expectativas.

Não era um dia comum. Eu estava bem nostálgica, a saudade da família e amigos latejando no peito, mas ainda assim eu fui. Afinal, era o Marcos Almeida e meus amigos estariam lá!

Embora estivéssemos em uma 'igreja', a liturgia deles era um tanto diferenciada e, quando você está acostumada a outro tipo, acaba notando essas singularidades. O evento iniciou com Marcos tocando violão e vez ou outra acrescentando o bumbo... Foi muito bom, como pode ser visto no vídeo.

Daí ele cantou as músicas que eu precisava ouvir. Cantou Toda dor é por enquanto, Vem me socorrer , e elas me fizeram lembrar dos momentos que essas mesmas canções me ajudaram a enfrentar momentos difíceis. Lembrei que um ano atrás, quando faltava-me paz no coração e pude notar o cuidado de Deus comigo, pois agora, eu estava (estou) vivendo exatamente o contrário.

Fiquei grata das luzes estarem apenas no palco, pois assim pude derramar algumas lágrimas de agradecimento à Deus. Cada momento que passei, que chorei, que vivi no ano anterior agora já haviam passado, as dores foram por enquanto e a alegria hoje reina, e tenho um amor é para sempre...

Estou em obras


Parecia fácil largar a mãe e os irmãos, os melhores amigos, os conhecidos, e partir para um lugar onde, apesar de ter muitos entes queridos, precisaria firmar novos relacionamentos.

Estava evitando pensar em tudo isso, mas vez ou outra alguém me pergunta: "como é largar tudo e se mudar assim?". Eu sempre respondia da forma que pensava, afinal sempre quis isso. Mas outro dia, em uma entrevista, ao ser questionada, confesso que respirei fundo, pois minha resposta padrão já não estava me convencendo e uma lágrima chata queria rolar. Quando me dizem "você é muito corajosa, eu não teria coragem", não consigo notar um elogio, só consigo ouvir "uau, como você é louca e desnaturada". Sei que muitos não tem essa intenção, mas é isso que minha cabeça processa, baseado em tantas coisas que tive de ouvir até chegar aqui.

Nunca fui do tipo de adolescente que dizia "quando eu fizer 18 eu isso, eu aquilo". Eu não pensava nesse tipo de coisa, idealizava sair de casa apenas após me casar. Mas, assim como o plano de ser unicamente uma dona de casa cuidando de 4 filhos enquanto o marido trabalhava mudou, meu plano de sair de casa também. E eu precisei sair. Não por não conviver bem com meus entes, ou porque eu queria apenas meu próprio espaço, mas porque eu precisava. Talvez para voltar daqui uns meses, talvez para perceber que isso é o que quero mesmo. O fato é que, embora seja um momento delicado, eu estou feliz por estar vivendo isso.

Por outro lado, esse momento está sendo bastante enriquecedor. São nesses momentos que temos a chance de saber quem realmente está do nosso lado e, bom, quem são apenas os expectadores. Graças a Deus, os que estão do meu lado suplantam a minhas necessidades de amor e me fazem nem notar a ausência dos expectadores. Sou abençoada por ter uma família que me acolheu, um amor que sente comigo as minhas dores, amigos que estão me acolhendo e me fazendo sentir em casa pouco a pouco.

Eu estava evitando postar coisas intimas por aqui, mas não pude evitar, isso vai ser bom para ler daqui uns anos, quando as sensações e idealizações provavelmente já terão mudado (ou não rs). Afinal, estou em obras constantes.



Como encontro passagens aéreas baratas



Quem me conhece já sabe que virei expert #modestaQueSóEla em encontrar os menores preços de passagens aéreas meso viajando em época de alta estação. Já tem uns 4 anos que eu viajo no mês de dezembro para São Paulo, sempre pagando menos de 500,00 (ida e volta). Além de conseguir juntar muitos pontos (que é o mesmo que milhas) e adquirir passagens por meio deles.
Volta e meia eu sou questionada pelos meus amigos sobre como é que faço para achar os menores preços de passagens aéreas, então resolvi compartilhar como eu faço para encontrar os melhores preços:

1. Compre com antecedência, mas não muita
Sim, é verdade, saber os dias da sua viagem com antecedência ajuda na escolha dos menores preços, mas se o período for muito grande, pode ser que depois você encontre valores ainda menores. Certa vez comprei uma ida por R$ 199,00 e uma semana depois a mesma passagem estava por R$ 139,00. nem preciso dizer que eu fiquei pirada, né? Mas tudo bem, a diferença não foi tão grande assim.

2. Pesquise primeiro em agências de viagem mas compre diretamente na companhia aérea
Como existem várias companhias aéreas, não dá para ficar pesquisando uma a uma. O ideal é pesquisar nessas agências que fazem a pesquisa com todas as companhias e permite que você compare os preços. Eu usava sempre a decolar.com, pesquisava as datas que quero e depois que comprava direto no site da empresa. Isso porque essas agências cobram uma taxa de serviço que varia de R$ 40,00 a R$ 70,00. Agora utilizo também o site voopter.com.br, mas comecei a ficar bem atenta quando notei em algumas pesquisas que o preço de lá nem sempre condizia com o da empresa. Logo é bom pesquisar na decolar e nele simultaneamente.

3. Faça sempre uma comparação dos preços nos dias próximos à viagem
Sim, pois um dia pode fazer muita diferença no valor final. Viajar meio de semana em geral sai mais barato que nos finais de semana, por exemplo.

4. Ás vezes saí mais barato ir e voltar em companhias aéreas diferentes
Sim, pois nem sempre elas tem o menor preço em tudo. Já viajei pela Azul e voltei pela Avianca, por exemplo, porque economizaria mais de R$ 200,00. Usando a dica nº 2, você pode pesquisar ida e volta separadamente e comparar os preços.

5. Crie alertas nos sites
Nos sites da decolar.com e da voopter.com.br têm a opção de criar alertas com o valor máximo das passagens que você deseja encontrar. Você pode optar pelo mês ou data específica, ou até finais de semana. Isso ajuda muito, pois ele envia um e-mail com a passagem sempre que houver uma promoção.

6. Utilize aba anônima e/ou apague os cookies do seu navegador
Em pesquisas na internet, li relatos de que algumas companhias aéreas usam informações providas por cookies para monitorar nossa navegação, e assim aumentam os preços do voos que temos interesse. Por isso muitas vezes pesquisamos uma passagem e depois de um tempo, ao pesquisar a mesma, ela está com um valor diferente.
A opções que temos é apagar as cookies antes de pesquisar o valor das passagens ou utilizar aba anônima (Ctrl + Shift + N, se você usa o Google  Chrome).

Bom, essas são as dicas que mais utilizo ultimamente, espero que ajude a vocês como ajuda a mim e boa viagem!





Publicidade